terça-feira, 16 de outubro de 2012

New York - day 2

É Domingo. A cidade que nunca dorme aparentemente dorme ao domingo de manhã. Ou isso ou estávamos com os pitos aos saltos por ser oficialmente o primeiro dia.

Começamos 6ª avenida acima mas as lojas ainda estavam todas fechadas pelo que fomos à procura de um local para pequeno-almoço para porcos.

Enfiamo-nos por Chelsea adentro e descobrimos um local com breakfast à grande. Claro que depois não fomos muito felizes porque quando pedi eggs with bacon, tomato, mushrooms and cheese vem-me tudo embrulhado estilo cagalhão sob o nome de fritatta. Ora eu não pedi fritatta caralho. E estava a modos que em pânico a olhar para aquela bodega. Mas como bom menino súbdito que aprendi a ser desde que li as 50 sombras de Grey, mamei e calei. E pedi um sumo de laranja para ajudar a empurrar aquela bodega garganta abaixo. 

Não me apetecia nada deixar gorjeta mas antes que levássemos com o resto da fritatta na cabeça, deixamos a suggested tip. O que me deixa de certa forma contrariado porque eu deveria dar gorjeta quando fosse bem atendido e não quando me trazem uma coisa que não estava explícito na ementa.

Saímos e choveu. Nós com o intuito de sermos meninos bem comportados e ver as vistas, lá tivemos que nos render às evidências: Compras!

Fomos pela Broadway acima entrando em tudo o que havia para entrar e posteriormente no Macy's. (esta humilde frase acabou de resumir 6 horas do nosso dia). 

No Macy's, a Desocupada lá teve de ir à casa de banho pela 15ª vez porque está sempre cheia de sede e enfia litradas de água pela boca abaixo por minuto, à laia de diabética incontinente. Aproveitando a descarga de mijo da amiga, comemos McDonald's que estava ali tão bem situado ao pé da Ralph Lauren para fazer uma pausa entre compras. Consegui aqui despachar compras de Natal e iniciar o meu processo de renovação de guarda fato.

Compras e mais compras por entre lojas da especialidade (roupa) e finalmente tocaram as 20 badaladas na minha barriga e começamos a descer Broadway abaixo não fosse ficar com tonturas devida à ingestão de poucas calorias ao longo do dia. Eu mencionei que passei também o dia a comer cachorros de rua e a beber café de balde? Não? Pois.

Claro que, como referi ontem, a Desocupada tinha que arranjar uma desculpa para fazer a visitar diária ao Duane Reade's. Ontem foi revistas. Desta vez ao que parece, ela enganou-se a comprar pensos em Portugal e comprou tamanho fralda e estava-lhe a fazer confusão sentir o penso no rego. Eu não sou gaja mas ter o rego almofadado não deve ser assim tão mau. Mas pronto, se não fosse isso ela ia inventar que tinha de comprar pílulas apesar de não correr risco connosco. 
Lá dentro, lá fiz a minha visita aos vários produtos que andam a fazer furor nas prateleiras dos nova-iorquinos e encontrei esta delicacy:

                                

Tentei persuadi-la por várias vezes, que deve ser fantástico passear pelas ruas de Nova Iorque a pé o dia todo com a sensação de pérolas a roçar na sirene da franga. Claro que estava mais a tentar proporcionar-me momentos YouTube com ela toda ruborizada e suada e a contorcer-se toda avenida acima. O que dava um novo sentido ao diálogo - Hurry up! - I'm cumming!. Mas ela não caiu nessa. Frígida.
Tomara eu que a Tampax fabricasse umas cuecas que batessem punhetas o dia todo.

Já aconchegada das partes, fomos jantar a um italiano e comemos massa. E pagamos 60 dólares por pessoa. Para comer esparguete. Porque aquela massa deve ter saído do cu de alguém muito importante. Fomos para casa com azia.

2 comentários:

Xs disse...

lolol
Estou a ver que se estão a divertir!
E isso é o mais importante!
Continua a fazer ps diários, sff!
Aqui a malta gosta de ler!

Ah! E parabéns pelo 7 anos! :)

Alex disse...

Estes relatos são deliciosos...