sexta-feira, 20 de julho de 2012

Ainda a respeito do livro bombástico.

Ainda a propósito do meu post anterior sobre aquele livro de quarentonas à procura da pornografia certa que não envolva ser enrabada por trás enquanto lava a loiça, e que eu ando a devorar...
 
Andava eu a deambular pela casa de livro na mão, absorto, sem certezas se estaria ou não a pisar o cão durante as minhas passagens quando decido se não estaria na altura de fumar um cigarrinho. Claro que, tal como 90% dos fumadores, o meu grande dilema foi "onde caralho é que deixei o isqueiro?". Não encontrando essa peça pouco importante no acto de fumar e na inexistência de dois calhaus para raspar que isto aqui não é nenhuma ribeira, dirigi-me ao fogão.

Desviei o cinzeiro de cima de um dos bicos e acendi o cigarro e voltei a colocar lá o cinzeiro. Voltei a absorver-me na minha literatura burlesca, concentradíssimo não fosse eu esquecer-me onde é que a Ana tinha deixado a perna desta vez e qual dos mamilos tinha clips, nem olhei duas vezes para o fogão. Nem me lembrei tampouco que estava a deambular pela minha cozinha, porque na minha cabeça estava de quatro em cima da bancada à espera que me fizessem travessuras. Nisto, enquanto Ana levava com mais uma berlaitada pela franga acima, eis que ouço uma explosão cheia de cristais e purpurinas esvoaçantes e pensei "pronto, a puta veio-se". E depois desci à Terra e apercebi-me que tinha explodido o cinzeiro de vidro com as beatas lá dentro. 

Pior que ter que varrer aquela merda toda, foi ter que abandonar uma queca literária a meio para limpar vidros.

3 comentários:

Poisoned Apple disse...

Wouhahahahha! Lindo! Adorei! :)

Vandal disse...

Ate o fogao se veio... Assim que terminar de ler o "Role Models" do John Waters tenho que ler isso...
x Vandal x

lu de lúcia disse...

LOOOL, demais :D