segunda-feira, 19 de março de 2012

O meu pai

Andava eu a deambular pelo meu blog, à procura do texto do Dia do Pai do ano passado, no intuito de não repetir dedicatórias. Já devia era ter calculado que a minha sensibilidade era tanta que não fiz nenhum alusão a esse dia. Em contrapartida, qual o meu desgosto, quando reparei que tinha aproveitado esse dia para anunciar a chegada da Feira do Grelo, o legume.

Este ano, tinha pensado em dar continuidade ao texto lindo que sonhei que tinha escrito, fazendo o paralelismo com o pai de hoje. Dadas as cruéis circunstâncias, o único paralelismo com o lindo texto do ano passado que consigo fazer é:

1 - ele gosta de grelo, ao contrário de mim.

2- ele já plantou couves, batatas, beterrabas e outros tantos que lhe valeram o suor de uma vida. Grelos não.

3- ele já me bateu, já me pôs de castigo, já me deu sermões, mas nunca por problemas relacionados com grelo.

4- quando a minha mãe se recusava a dar-me dinheiro para sair à noite, ele vinha entregar-me às escondidas para que eu pudesse ser um jovem feliz. Mas ele sabia que não era para comprar grelo.

5- quando tinha ataques de asma a meio da noite, lá ia ele preocupadíssimo levar-me ao médico, enquanto me enchia de sermões sobre os malefícios do tabaco. Sim, que eu nunca fumei grelo.

6- quando fui suspenso da escola, a directora mostrou ao meu pai todos os poemas obscenos sobre grelos que tinha escrito na aula o que me valeu uma valente chapada.

7- quando a situação económica não era das melhores, o meu pai trabalhava em dois ou três sítios para que nunca nos faltasse nada. E para que o jantar não tivesse de ser grelos.

8- quando estudar fora parecia um luxo insuportável para toda a família, o meu pai fez os possíveis e os impossíveis para que os filhos tivessem a oportunidade de estudar que ele nunca teve. Nem que tivesse de ir à praça vender grelos.

9- quando a família está toda reunida ao jantar, a alegria estampada na cara do meu pai é tão grande que uma pessoa até nem se importaria de estar a jantar grelos.

10- quando finalmente disse ao meu pai que, na verdade, eu não gostava de comer grelo e que dava para outros lados, o meu pai limitou-se a responder que eu era filho dele, independentemente das minhas escolhas para ser feliz, e que me amava incondicionalmente. Mais tarde, quase desalojou a família toda dos seus quartos para que o meu namorado pudesse estar presente no casamento da minha irmã.

Lamento a todos os portugueses mas, com gelos ou sem grelos, ninguem ganha o meu pai. Amo-te.

6 comentários:

sad eyes disse...

Isso foi bonito :)
Ou como se diz: "bonito, bonito..."
E no final não rima com grelo, mas é como se rimasse.

Anónimo disse...

Grelo grelo in my hair,
Grelo Grelo over there,
Grelo grelo on the ground,
Grelo grelo all around.

X Vandal X

Pink World Fabuloutin disse...

Grelos... lol... q sensibilidade!!!

XL disse...

Eis o lado sensivel do Schnoof...

Xs disse...

E acredito que o ponto 10 seja tão ou mais importante para ti, que os restantes.
Portanto: Parabéns ao teu pai!
:)

Blog disse...

Gostei do pai! :)