quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Eu no Cabeleireiro, versão 345269 -C

Já faz parte dos arquivos deste blogue, as minhas sempre tristes aventuras com os cabeleireiros. O que se torna deveras estúpido visto estarmos a falar de meia dúzia de pintelhos aleatoriamente distribuídos pela minha cabeça.

Ultimamente como tenho andado sob hormônios, tenho uma vasta cabeleira o que acrescenta 45 minutos à tarefa aparentemente simples de cortar o meu cabelo. Visto ter celebrado há dias o meu belo aniversário, achei por bem aparar a trufa.

Chegado ao salão (desta vez acompanhado por três testemunhas, não fossem pensar que eu invento esta apatia por cabeleireiros), dei uma vista de olhos. 30 cabeleireiras atarefadas, uma velha disfarçada de cabeleireira com ar de quem preparava papas para presos, e quatro recepcionistas. Quando chegou a minha vez, calhou-me, claro, a puta da velha. 

Eu vi logo que aquilo ia dar merda mas optei por não escolher uma vez que não tenho tido muita sorte nos últimos tempos. 


Depois de ter dito à puta da velha que queria cortar assim e assado e aparar a barba, lá ela agarrou na máquina e em vez de me rapar de baixo para cima, começou a rapar de fora para dentro... da nuca. Qual canzana encostado a uma parede de azulejos, aquilo é que era pujança. E lá caiu o pente 4 no meio do chão. Mas pronto, não estejamos com merdas que eu ia lavar o cabelo a seguir portanto toca a apanhá-lo do chão sem limpar e regressar à foda cefálica.

- Agora vamos lavar? - diz puta. Porque ela não é nenhuma badalhoca. Lá me sentei e puta lavou-me o cabelo. E as costas todas não fosse eu estar cheio de sebo.

- Nossa! Está todo molhado? Não sentiu a água nas costas? - claro que agora a culpa é minha minha vaca. Enquanto as cabeleireiras verdadeiras à volta andavam atarefadas a secar cabelos, velha seca a minha camisola com o secador. Findada esta tarefa, voilá. Está pronto. Ainda um bocado incrédulo, olhei para o espelho para ver se secar a camisola tinha feito alguma coisa de diferente ao meu cabelo e barba. Nada.

- Então e a minha barba?
- Ai agora não tenho tempo. Tenho uma marcação.

1. Nem abri a boca não fosse a puta foder-me a bochecha com a máquina também.
2. Se a puta não demorasse tanto tempo a secar-me as costas, já tinha tempo.
3. Custa-me acreditar que alguém fez uma marcação propositadamente para a puta da velha. 
4. Vou deixar crescer o cabelo.

6 comentários:

POC disse...

Aposto que ainda levou gorjeta...

pinkyreport.com disse...

É verdade... sou testemunha... e confesso q o contraste cabelo cortado e barba mega por fazer não te favorecem... :/

Vandal disse...

Ja te disse antes, e volto a dizer outra vez; vai aqui!
http://www.youtube.com/watch?v=tYVrIW-SzMs

Ao menos ja sabes que vais sair de la a parecer uma camionista da TIR!

Ou entao aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=Nl6eO4j_xZk

Nesta ja sabes que o look cigano techno vai chegar para ficar...

XL disse...

Tenas de começar a cortar em casa...

Xs disse...

E as testemunhas?
Não fizreram nada??

PinkyReport disse...

As testemunhas estavam ocupadas a debater os saldos da area... ;)