segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Como os CTT roubaram o Natal

Ultimamente tenho-me munido de um espírito natalício precoce. A minha banda sonora nas últimas 48 horas reveste-se de sininhos e pais natais e os característicos guinchos da Mariah Carey. No meio disto tudo, mandei para o lixo o cd de músicas de Natal do Sting que me dão vontade de enfiar o pinheiro no cu para ver se não adormeço. E o Natal deve ser alegria.

Ainda munido deste espírito natalício precoce que me faz deitar umas gotinhas, fiz-me aos postais de Natal a ver se é desta que mando tudo a horas certas. Hoje lá saí de casa em modo Santa Claus is coming to town rumo aos CTT na esperança de enviar os postais a tempo de ainda receber algum porque dar é para receber. É esse o meu lema de vida e aplico no sexo também que ninguém gosta de estar ali a chupar no dedo enquanto o outro está para lá das estrelas, não me fodam.

Chegado aos Correios com os meus postais minúsculos comprados em Nova Iorque, pavorosos que só eles, sou chamado ao balcão. Eu e o meu número 169 (não, não estou a inventar só para dar conteúdo badalhoco à minha vida).

- Tão pequeninos...!!
- É para poupar no peso.
- Ah, mas quando os postais têm um formato inferior a 9cm x 14cm tem que pagar mais.

WTF? (não disse isto alto porque na altura estava a engasgar-me naquilo que me parecia um pintelho)

- Então mas porquê?
- Porque é fora de formato, sempre foi assim.

Não fosse eu estar em modo natalício e eu tinha agarrado naquela merda toda e enfiado cada postal num envelope A4. Isto há com cada ideia estúpida e já andei às voltas com o cérebro na procura de uma justificação mais compreensível do que "porque é fora do formato". Eu compreendo que ninguém gosta de receber algo mais pequeno do que aquilo que espera porque é um desgosto... sim, estou a falar de pilas. Mas postais?

Ficam a saber: se é pequenino paga mais. Puta que pariu o Natal.

E já agora que estou a fornecer informação útil para o quotidiano atribulado das pessoas, não é que o segredo da Vanessa é que foi vítima de trabalho infantil? Ao que parece, o pai quando estava a construir a casa obrigou-a a ajudar a carregar baldes de cimento para construir o muro. Vanessa querida percebo a tua dor: a minha mãe obrigava-me a lavar a loiça... da família toda! Começo a achar que os pais deste país fabricam filhos com os seus aparelhos sexuais só no intuito de garantirem mão de obra gratuita. Não há direito.

3 comentários:

et voilà... disse...

apagaste o CD do sting do meu itunes??

Schnoof disse...

Mor aquele cd é tão feio. Quase que prefiro aquela música pavorosa de Natal dos Anjos featuring Susana...

Xs disse...

O tamanho é sempre importante.... já devias saber isso, pah!