sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Oh no, not again...

Estava ainda há pouco de mãos numa revista que figurava José Castelo Branco a alegar que "estou a sangrar por dentro" ainda em relação a um escândalo de orgias que ocupa metade do tempo e dinheiro da justiça portuguesa. O que me deixa deveras confuso porque nunca, neste longo processo, ouvi alguém referir que o Castelo Branco tinha levado com uma tocha incandescente pelo cu acima para justificar esse estado hemorrágico. Espero que essa parte melhore depressa porque, sinceramente, morrer antes da Betty é simplesmente ridículo.

Mais adiante, o homem do cólon abrasivo refere que não podia estar consciente para se ver no meio de tudo aquilo. Nesta tese eu acredito, muito sinceramente. No que eu não acredito é como é que os outros participantes todos estavam a foder conscientemente de livre vontade com o Castelo Branco. Nem a Betty cai nessa. A esses sim, decreto internamento psiquiátrico. Agora com toda a humilhação de já ter fodido com o José Castelo Branco, estas pessoas deparam-se com sérios problemas em conseguir alguém que queira foder com elas. A capacidade excitatória de uma pessoa com um passado sexual com o Castelo Branco está ali rés-vés com a lepra.

No final, JCB, que devia agradecer aos que estragaram a vida deles para afirmar publicamente que foderam com ele, afirma que "mesmo que tivesse andado a dar 50 quecas, era a minha vida". Depreende-se aqui claramente a sua megalomania. Filha, ninguém te dá 50 quecas, por mais Nausef que se tome. Não te estiques.

2 comentários:

Ricardo disse...

Não é que uma coisa tenha a ver com a outra mas... Sabias que existe um livro da/sobre a duquesa de Alba à venda na Bertrand?
Vi o livro e lembrei-me de ti(Hmmm, isto é capaz de roçar o insulto mas é a verdade)... Lembrei-me de ti, para te vir aqui passar a informação...

Schnoof disse...

Não é insulto. Até podias olhar para um cagalhão e lembrar-te de mim, que eu ficaria feliz na mesma. Quanto ao livro, já sabia... estou a pensar seriamente perder horas da minha vida para lê-lo.