domingo, 16 de outubro de 2011

O post mais lamechas de sempre: é sobre amor...

Foi há seis anos que conheci um marmanjo que não me largava a cueca porque dizia que a minha beleza cegava quem por mim passasse. Eu ciente da minha beldade, estava sem nada para fazer num determinado dia e optei por trazer umas alegrias a quem por mim se babava. Aceitei tomar o primeiro café.

Tomei o primeiro café naquela que seria a primeira amostra do quanto o meu amor falava pelos cotovelos. E eu, sorridente pela noite dentro, ostentava orgulhosamente um pedaço de espinafre nos dentes. O ingrediente certo para por qualquer um a erguer a mesa com o sintoma da excitação.

No dia seguinte, o senhor queria mais café. Pensei que ele era viciado em cafeína mas depois caí em mim e recordei-me que a minha irresistibilidade era a segunda chave para o paraíso. E anuí em compreensão.
Palavras bonitas, sms de cortar a respiração, beijos apaixonantes, propostas indecentes e rapidamente a minha mente ficou atordoada e atolada em bolhinhas de sabão e coisas fofas.

Há exactamente seis anos, neste dia, estava sentado no carro a ouvir uma música cuja letra sabia de cor. Esperei pelo refrão para ouvir as palavras certas em pano de fundo enquanto perguntava timidamente: Queres namorar comigo?
E o moço, muito sensível a estas coisas do romantic timing, respondeu: O que é que disseste? Ainda não me recompus desse trauma.

Estabelecido o pacto, o moço ficou a saber mais tarde que tinha sido seduzido ao engano, herdando um bardajão com obsessões freudianas não ultrapassadas na infância, com tendência para brincadeiras um tanto quanto retardadas e sugestivas de uma percentagem significativa de défice cognitivo, com ideologias e sonhos arco-íricos que pouco se coadunem com as concepções térreas de alguém que analisa tudo ao pormenor, sujeitando-se a que eu lhe partisse as perninhas por estar sempre a tirar o rebuçado à criança.

Foram altos e baixos, desde sexo enlouquecedor a malas à porta em drama mode, desde risos de fazer doer a barriga a saídas tempestuosas do restaurante com direito a uma nota de 20 espancada em cima da mesa (eu vejo filmes a mais). Porque há momentos que me apetece fazer dele uma fogueira. Mas rapidamente lembro-me que o amo. E porque é ilegal.

Não me vou desfazer em lamechices, mas eu amo-te. Foram os melhores seis anos da minha vida. E imaginar o meu futuro ao teu lado, faz com que tudo o resto tenha sentido. Dou-te os parabéns porque aturar-me é uma cruz. E porque eu já me congratulei a mim próprio com vinho e um filme lamechas. And now for our song:




13 comentários:

Anónimo disse...

parabens!!!

Meia Noite e Um Quarto disse...

o post mais bonito que fizeste neste blog :-) Muitos parabéns aos dois!

Pink World Fabuloutin disse...

Parabéns amigos!!!

Sem dúvida o pedido de namoro mais romântico da história!!! ;)

Contamos com uma festa igual ou melhor q a do ano passado... msm com atraso... a espera n importa o que importa é comemorar!!! ;)

et voilà... disse...

:) such a beautiful disaster

Poisoned Apple disse...

PARABÉNS! :)

XL disse...

Parabens aos dois pombinhos, ainda vais ter de esperar mais um mês, não é? a vida é dura...

SandraJC disse...

Muitos Parabéns!
Que coisa mais linda, romantismo à la Schnoof.

E o pedido de namoro, que coisa mais fofa. :)

iheart disse...

Schnoofianamente sublime.
Este elogio aos altos e baixos do amor faz-me acreditar que algo em mim ainda roça a normalidade pois não sou a única a padecer da esquizofrenia relacional.
Ai Schnoof, prossiga prossiga com estas coisas mai lindas. :)
Aqui a fã, suspira por mais.

Alexandra disse...

Ohh! Muitos parabéns!

Identifiquei-me contigo no texto. Também adoro fazer de Drama Queen (Quem diria?) nas relações.

Beijinhos

(Amanhã vais ao WKS de Contemporâneo?)

Alexandra disse...

(Subscrevendo para a resposta)

Schnoof disse...

Anónimo: Thanks. Não que vás receber a resposta.
Midnight: No meio de tanta obscenidade tinha que restar espaço para algum sentimento ;-P
Pink: Não volto a cozinhar para 40 pessoas e repito isso em frente a um espelho as vezes que forem necessárias.
Voilà: yes we are :-D
Maçã Envenenada: Thanks. Já regressaram?
XL: Não. Já só faltam 10 dias para ir àquela terra que me faz lembrar Relmus.
Sandra: o pedido de namoro parece mais bonito agora que já passou. Na altura parecia tudo wrong.
iheart: a minha esquizo relacional padece de medicação que recuso-me a tomar. Mas adorei o neologismo: schnoofianamente. ;-P
Alexandra: é o que dá ver filmes a mais. Vais amanhã?

Alexandra disse...

Era para ir mas ainda não decidi se vou ao velório.

indigente andrajoso disse...

senhor rapaz (com sobrenome de escola secundária onde as alunas pedem os telemóveis já ás professoras) muitos parabéns aos dois...

sabes bem que isto pede uma festa daquelas... não sabes..

;-)