segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Dia de S. Valentim

Anda tudo aí na rua com o cio. Se repararmos bem, algumas até perdem umas gotinhas. Anda tudo aí de flores na mão para conseguir quarto de hora de sexo logo à noite após gastar uma pipa de massa em jantar. Digam-me lá se isto não soa a prostituição só que mascarada?

Eu namoro há vários anos com a mesma pessoa por incrível que pareça, que isto de aturar-me tem que se lhe diga. Sempre fui uma pessoa romântica a roçar a pirosada mas guardar este dia a meio de uma semana de trabalho para namorar, publicamente, ao lado de dezenas de casais que estão ali quase a programar uma criança em cima da mesa torna-se de certa forma ridículo. É o menu namorados que vem encharcado em morangos, é a música da Sade que ecoa pelas paredes enfeitadas de corações até ao limite, é vê-los todos de olhos nos olhos e de mãos dadas como se tivessem eternamente à espera daquele dia finalmente para namorar.

Pois cá em casa namora-se todos os dias... mesmo quando se discute, mesmo que quando não se faz o amor (porque todos os dias começa a parecer um rol de afazeres após alguns anos), mesmo quando se está apenas a ver um filme ou mesmo quando estamos de computadores virados um para o outro. É o sentir-se bem e rirmo-nos de parvoíces a toda a hora. Aí sim, os outos 364 dias sabem-me mais a dia de namorados, do que qualquer noite que o Requinte Motel com espumante Asti me possa oferecer.

Neste dia prefiro juntar-me aos meus amigos "encalhados" e rir-me até cair p´ró lado do tempo que já passou desde "que me mexeram nas mamas pela última vez", "já estou virgem outra vez" e das pragas que rogam aos casais apaixonados e da lepra que deveria atingir as suas pilas na hora H. E se pudermos ir os dois fingidos de "encalhados" tanto melhor. Feliz dia de S. Valentim.

1 comentário:

sidnei.sande disse...

quem fala assim não é gago :D haja pessoas inteligentes no mundo que bem precisa delas jasus
parabens