segunda-feira, 28 de maio de 2012

Versailles

Depois de ter levado com o festival da Eurovisão e as suas músicas mais feias que o fruto de uma noite de sexo entre a Duquesa de Alba e o Castelo Branco, decidimos folhear o guia para decidir onde iríamos vaguear no dia seguinte. Dado que Paris já está mais que visto, optamos por Versailles. Segundo a moça que escreve o guia e que provavelmente nunca esteve em nenhum dos locais que menciona, a visita ao Chatêau da Badalhoca Antoinette demoraria no mínimo um dia. Ora que já me tinham pregado com essa há uns anos atrás com o Museu do Louvre. Conclusão: despachei aquilo em 2 horas. A modos que decidimos acordar lá para as 10 e tal, que eu cá não preciso de um dia inteiro para ver casebres.


Tomado o pequeno-almoço na bomba de gasolina, fizemo-nos à estrada. Uma vez que no dia anterior tinha escolhido a banda sonora, ontem tive de levar com a mais recente retirada do baú do condutor: Lisa Stansfield. Credo que aquela senhora faz-me ponderar os benefícios do suicídio. Por momentos ao avistar a sinalização local (ver foto), sonhei que aquele veado saísse da placa e se espetasse no nosso carro de forma a poder acabar com o meu sofrimento.


Chegados a Versailles, já com coágulos a sair pelas orelhas, avistamos, não o casebre que eu tinha imaginado, mas aquilo que me parecia o dobro do Vaticano. A praça estava à pinha e quase ia saltando do carro pensando que estavam a oferecer caralhos.
Depois de ficar eternidades à espera para poder estacionar, enfiamo-nos por entre aquele gang bang de chineses e americanos em busca da bilheteira. Claro que se a fila não ostentasse um quilómetro de extensão, não seria a mesma coisa. Já eram 15:30 e aquela merda fechava às 18:30 pelo que já tinha decidido que iríamos ver o quarto da gaja, um quarto qualquer com espelhos e mais duas ou três coisas que figuravam no Top 10 do guia.
Já com os pés na escadinha da bilheteira, descobrimos que, quais anormais da merda, a bilheteira era na fila do lado. Aquilo tinha sido a fila para quem já tinha bilhete. Claro que se os chineses não invadissem tudo o que era sinalefas com os seus chapéus de palha e as suas máquinas com objectivas do triplo do tamanho dos seus pirilaus, eu teria-me apercebido disso antes.

Lá fui eu para a bilheteira. Não sei porquê mas estranhei haver novamente uma fila monstruosa. Dada a tendência que aquela gente tem em gostar de estar em fila indiana a roçar-se uns nos outros, avistei na minha bola de cristal a possibilidade quase certa de estar uma fila para cada divisão na casa, incluindo o mostruário das últimas cuecas da Antonieta antes de ir parar à guilhotina. Ora que não há ceroulas que me façam esperar tanto, nem que contenham selos ressequidos da realeza. Lamento, mas tenho limites. 
Fiz planos mentais para futuramente fazer uma visita virtual àquela casa no conforto do meu lar, e partimos rumo ao Hard Rock Paris para jantar. Eram 16:30.

7 comentários:

Pink World Fabuloutin disse...

Nem acredito q n entraram no palácio!!! :|

et voilà... disse...

sim... isto porque quando estávamos na fila interminável para o estacionamento eu disse: "schnoof devias ir já comprando os bilhetes enquanto eu estou aqui à espera, deve ser uma fila enorme!"... "ah não, não vale a pena!"
quando lá chegámos (depois de uma hora para o estacionamento) vimos mais uma fila enorme eu disse: "schnoof eu vou já para esta fila. vai confirmar se é aqui onde se compram os bilhetes" ao que schnoof lá foi e quando voltou disse: "sim só há esta fila"
quando chegámos ao início da fila (30 minutos depois) eu vi pessoas com bilhetes na mão e disse "schnoof vai ali perguntar ao polício se os bilhetes são aqui" "sim claro que são..." depois de insistir muito lá ele foi para voltar com cara de parvo: "os bilhetes são naquele edíficio"
eu ainda mantive a calma toda: "schnoof, eu fico aqui a esperar para não termos que voltar para o início desta fila e tu vais para a fila dos bilhetes". passados 5 minutos voltou a dizer que não tinha paciência e que já não queria ir"

Schnoof disse...

Pronto estas satisfeito? Andaste uma viagem inteira a querer libertar a alma. Queres desabafar mais alguma coisa?

Bruna disse...

O comentário é ainda melhor que o post.
By the way, como é que o Scnoof está em versalhes e o French Liaisons em São Francisco? (Eu já sei que a resposta também vai ser parva?)

Schnoof disse...

O FL escreve com meses de atraso. Aquilo foi uma viagem que ele fez na adolescência. Nao te admires se ele desejar feliz Natal no blog em abril.

La Contessa disse...

Fui a Versalhes quando no dia que fiz 23 anos. Felizmente, não ignorei o conselho do concierge que me disse que mais valia estar lá à hora de abertura porque as filas depois eram intermináveis. Às 9h estava à porta e esperei só 10mins na fila. Sai de lá às 18h30 depois de ter visto tudo, à excepção dos jardins interiores. Foi das melhores visitas culturais da minha vida.

Pink World Fabuloutin disse...

eheheh... tão bom... adoro estes comentários!!!:)))